A presença dos laboratórios de análise nas redes sociais em ambiente de pandemia

Mais de um ano se passou desde o início da pandemia do Covid-19 e do primeiro estado de emergência decretado no país. Muitas mudanças ocorreram desde então e os testes com a tão famosa zaragatoa, realizados de norte a sul do país, são já presença assídua nos noticiários e nas nossas rotinas.

Por este motivo, a Elife Portugal decidiu analisar como é que as principais redes de laboratórios para análises clínicas estão a relacionar-se com os utentes através das redes sociais. Será que há buzz nas redes sobre os principais laboratórios do país? Será que estas marcas de saúde estão a aproveitar o crescimento da procura como uma oportunidade para se aproximarem e fidelizarem os utentes através das redes? Descubra tudo agora!

 

A presença dos laboratórios nas redes sociais

Para esta análise foram selecionadas as três redes de laboratórios com as maiores bases de fãs no Facebook, entre aqueles que estão a realizar os testes a Covid-19 no país. (Fonte: SNS)

Os laboratórios selecionados foram Germano de Sousa (presente em mais de 500 pontos pelo país) ; Joaquim Chaves (uma rede com mais de 150 postos de colheita) e Unilabs (mais de 1000 unidades de atendimento). No quadro abaixo, destacamos os números de seguidores e fãs nas duas principais redes em que as marcas estão presentes (Fonte: sites dos laboratórios). A marca Germano de Sousa lidera no número de seguidores, nos seus perfis oficiais, nas duas redes.

 

 

Qual foi o laboratório que teve o maior buzz no último mês?

Entre as três marcas em questão, o grupo Germano de Sousa destacou-se novamente como a marca que movimentou mais buzz, tendo obtido o maior número de publicações sobre a marca encontradas nas redes. 63% de todo o buzz encontrado nas redes no último mês estava relacionado com a marca.
Para esta análise, além dos perfis oficiais dos três laboratórios, monitorizamos menções espontâneas relacionadas com as marcas e com o universo dos serviços prestados nas clínicas e laboratórios, com termos como “análises”, “exames” e etc, com um total de 825 publicações.

 

Share of buzz: Número de publicações por marca

 

 

Quais são os assuntos mais falados?

Como era esperado, os temas principais das publicações sobre os três laboratórios estão relacionados com a pandemia e com os testes: “pcr”; “vírus”; “teste” e “covid”. Curiosamente, outro termo muito comum nas publicações analisadas é o nome “Maria’. É repetido com frequência nos 825 post analisados, graças à interação que ocorre entre os utilizadores, a marcar outras pessoas nas publicações das marcas e também para debater assuntos mais polémicos, uma vez que as opiniões sobre a vacinação e a indicação para a realização dos testes a Covid-19 foram divergentes.

 

Nuvem de palavras: Termos mais frequentes nas publicações

 

Um conteúdo partilhado pela Unilabs destacou-se como a publicação que promoveu o maior buzz no período analisado: a marca partilhou no seu perfil oficial o conteúdo de uma live sobre a importância do sono, e recebeu 118 comentários, na sua maioria elogiosos em relação ao conteúdo.

Outra publicação de destaque nesta análise foi feita pelo laboratório Germano de Sousa e, ao contrário da live da Unilabs, não foi bem aceite pelos utentes na rede. Este post com a sugestão de realização de um teste de anticorpos à Covid-19 para comprovar que a vacina resultou foi partilhado dia 11/03; entretanto, continua a receber comentários e a dividir a opinião dos utilizadores. Alguns consideram a informação relevante e o teste útil, enquanto outros consideram que o laboratório estaria a lucrar indevidamente com estes testes, como no exemplo: “Foi um grande negócio. Com o mal de uns, há sempre quem fique a ganhar…..” Esta publicação recebeu 191 comentários no período desta análise (entre 19/03 e 17/04).

 

Qual foi a marca que mais interagiu com os utentes através dos seus canais?

O Facebook foi a rede social mais importante para as marcas no período desta análise, concentrando 95% de todas as publicações encontradas. Para avaliar como está o relacionamento das marcas com os utentes neste canal, comparamos o número de comentários dos utentes recebidos nos perfis com o número de mensagens ou respostas partilhadas pelas marcas:

Comentários dos utilizadores Vs. Comentários das marcas

 

A Unilabs destaca-se como a marca que mais interage e responde aos utentes no Facebook, oferecendo assim a melhor experiência de relacionamento. O grupo Joaquim Chaves respondeu a apenas um comentário neste período, enquanto que no caso do grupo Germano de Sousa, não foi encontrada nenhuma resposta da marca entre os comentários das publicações no último mês.

 

Qual é o sentimento dos utilizadores em relação às marcas?

Diante da importância dos perfis oficiais destas marcas no Facebook, também foi analisado o conteúdo dos comentários deixados pelos utilizadores nas páginas, se era positivo, negativo ou neutro:

 

O grupo Germano de Sousa foi o que recebeu o maior percentual de comentários negativos na sua fanpage, o que é explicado pelas publicações sobre a realização dos testes após a vacinação para a Covid-19, uma vez que muitos utentes manifestaram as suas opiniões, inclusive questionando a vacinação. Ao mesmo tempo, foi a marca que somou mais comentários na sua página. O grupo Joaquim Chaves recebeu o menor número de comentários nas suas publicações, durante o período desta análise.

Conclusão: destaca-se a importância da monitorização das marcas em geral como uma forma de acompanhar a saúde da marca e também revelar assuntos mais importantes, opiniões do consumidor e oportunidades para o relacionamento.
Ao nível do relacionamento, foram detectadas oportunidades entre os comentários não respondidos pelas marcas, como no exemplo abaixo. Num momento com tantas incertezas, a dinâmica das redes poderia ser uma aliada no sentido de posicionar estas marcas como fonte de informação segura e credível e, ao mesmo tempo, criar proximidade e atrair os utentes para a realização de suas análises com as marcas.

Pode acompanhar os gráficos completos desta análise aqui!

A presença dos laboratórios de análise nas redes sociais em ambiente de pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topo